Google+ Followers

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Número de padarias não cresce há quase uma década, mas consumo de pães está em ascensão

Você já tomou seu café com pão hoje? Comprou na padaria ou no supermercado? Quantas padarias perto da sua casa ou do seu trabalho você conhece? Essas são perguntas simples que revelam não só a importância do pão na sociedade como seu significado econômico. Atualmente, existem mais de 52 mil estabelecimentos da área de panificação no Brasil, e eles movimentaram R$ 35 bilhões no ano passado, respondendo por 2% do PIB nacional.

Mesmo com cifras tão significativas, o número de padarias não cresce há quase uma década. “Diferente dos anos 1990, quando tivemos mais de 10 mil padarias fechadas, há sete anos não aumenta a quantidade de padarias, ocorre apenas troca de donos”, afirma Márcio Rodrigues, presidente do Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria (ITPC)e um dos coordenadores nacionais do Programa de Apoio à Panificação (Propan). Ele explica que “hoje a abertura é mais ordenada, e o pessoal, mais preparado”.

Mas se os vendedores não estão aumentando em número, o consumo do brasileiro está, sim, em forte ascensão. Em 1984, a média de consumo era de 19 quilos de pão per capita ao ano, em 1995 pulou para 27 quilos, e, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Panificação (Abip), no ano passado os brasileiros chegaram a consumir 30 quilos de pão per capita. A comemoração pela alta nos índices,porém, não é completa, já que a cifra corresponde apenas à metade do que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda: 60 quilos per capita ao ano.

Estatísticas da Abip mostram que existe uma padaria para cada 3 mil habitantes. Mas apenas o cheiro de pão quentinho não é suficiente para manter a casa cheia, o empreendedor precisa de criatividade para se destacar no meio. José Marcos Andrade de Souza, dono da Delicatessen São José, em Jequié (BA), achou uma maneira inusitada de chamar a atenção e deixar muita gente com vontade de participar. Ele fez um convite às crianças para decorarem a torta para presentear no Dia dos Pais,com divulgação em
outdoor, nas rádios e em murais das escolas. Este foi o mais marcante, mas Souza aposta nos eventos que realiza para divulgar a marca, como o Festival do Rocambole, com 22 variedades, e o Festival do Dia das Crianças. A estratégia lhe valeu o Prêmio Bunge de Empreendedorismo em Panificação, na categoria Marketing.

Bem, parece-me que aí surge uma grande oportunidade de negócios para empreendedores mais antenados.

Abaixo o link para o artigo completo, que é muito rico.

Autora: Débora Remor

Endeavor (link do artigo completo)

Nenhum comentário: