Google+ Followers

domingo, 10 de agosto de 2008

O Ranking da tirania

A pesquisa Stanton Chase/Grupo Foco mostra um interessante ranking das características dos chefes difíceis mais rejeitadas pelos subordinados.

Pelo menos 46% de todos os profissionais entrevistados, das diversas gerações e países latino-americanos, reclamaram de já ter tido chefes difíceis, e a proporção aumenta com o tempo no mercado. Isso reflete a prevalência, nos gestores, de um modelo mental condicionado pela visão da humanização da gestão, segundo a pesquisa Stanton Chase International/Grupo Foco.

A amostra pesquisada foi de 4.514 profissionais do Brasil, Argentina, Chile, México, Equador, Colômbia, Venezuela e Peru, representantes de cinco gerações na ativa -seniores (50 anos e mais), geração X (entre 40 e 49 anos), céticos (entre 30 e 39 anos), geração internet (entre 25 e 29 anos) e juniores (menos de 24 anos).


O ranking da tirania.


Nunca admitir seus erros ou pedir desculpas: 62%

Transmitir desprezo ou humilhar os subordinados: 54%

Não dar feedback: 51%

Ser ditatorial: 51%

Não se preocupar com a comunicação: 46%

Nunca ficar satisfeito com o trabalho dos subordinados: 45%

Não saber delegar tarefas: 41%

Preocupar-se somente com a própria carreira: 41%

Tomar para si o mérito de idéias e inovações de outros: 40%

Nunca ser gentil: 35%

Nunca elogiar: 34%

Manipular: 34%

Mentir: 30%

Demitir sem explicar com franqueza as razões: 20%

Nenhum comentário: