Google+ Followers

sábado, 8 de janeiro de 2011

Facebook – Lições de um geek

Mark Zuckerberg foi indicado como o homem do ano 2010 . Não por acaso o jovem bilionário dono da maior rede social do planeta, o Facebook, com seus mais de 500 milhões de usuários, chegou aonde chegou.

Vamos conhecer algumas das lições que Zuckerberg têm a dar do alto de seus 26 anos de idade.

1 – Tire as idéias do papel. A cada seis ou oito semanas, o Facebook realiza o “hackathon”, evento onde os empregados viram a noite tentando concretizar idéias para o site. Dessas idéias saíram novidades como o acesso ao Facebook pelo videogame Nintendo Wii. Você pode construir algo bom em apenas uma noite, disse Mark à revista Wired. “A gente acredita em mudanças rápidas, em vencer limites, em achar Ok quebrar coisas, isso faz parte de mim.”

2 - Seja antenado. A sacada de Mark é ficar atento a tendências. Se ele percebe algo com potencial para dar certo, incorpora ao Facebook. Por isso, quando lago novo surge no mercado, não fique para trás, traga a idéia para seu negócio. “O grande artista copia”, dizia Picasso, sem medo de trazer elementos dos grandes pintores para suas telas. Mark notou no Twitter que as pessoas queriam ficar numa única página conversando, sem entrar em outras páginas. Então adaptou isso ao Facebook. “O fundamental é aperfeiçoar uma idéia. Lançar algo primeiro não é o mais importante”, disse Chris Cox, vice-presidente de produtos do Facebook, à The New Yorker. “O mais importante sempre é a execução. Sempre”.

3 - Junte-se aos caras populares.  Foi o (ex) amigo brasileiro de Mark, Eduardo Saverin, quem garantiu a fama do negócio. Eduardo fazia parte do clube de alunos Phoenix, um dos mais populares de Harvard, e enviou o link para seus colegas. A maioria acessou, fez um perfil e repassou o site para outras pessoas. As mais populares são os melhores para fazer sua idéia se espalhar.

4 – Não pense no dinheiro.  Parece loucura, mas deixe a grana em segundo plano nos negócios e foque no trabalho. Mark teve uma visão empreendedora, mas não necessariamente capitalista. Rejeitou proposta de 1 bilhão de dólares do Yahoo logo no inicio do sucesso.

5 – Aposte alto. Você recusaria salário de US$ 1 milhão anuais aos 17 anos para trabalhar numa multinacional? Teria coragem de largar um curso na concorrida Harvard em troca de um sonho? Pois Mark fez tudo isso.Muitos executivos se preocupam tanto em não cometer erros que têm medo de arriscar”, diz ele.       

6 - Improvise. Surgiu algum chabu de última hora? Improvise. É o que Mark sempre fez. Como deixou tudo de lado para programar o Facebook, Mark teve de fazer algumas improvisações de última como uma que o fez bombar num exame de artes. Na prova, os alunos deviam descrever pinturas clássicas. Mark não teve dúvida. Um dia antes do exame, colocou os quadros num site e criou uma ferramenta para fazer anotações sobre as pinturas. Depois, mandou e-mail para a classe divulgando o site e pedindo para cada aluno comentar algo sobre a prova. Não só Mark passou de ano como a classe inteira conseguiu a melhor nota na história do exame.

7 – Invente no trabalho. Seu escritório não precisa ser o lugar mais entediante do universo. O ambiente de trabalho do Facebook é um dos mais descontraídos. Para ter uma idéia, as salas de reuniões têm nomes de bandas, como Run DMC e ZZ Top.

8 - Escute. Mesmo bilionário, Zuckerberg, continua a se envolver com cada novo projeto do site, ainda é um dos últimos a deixar o escritório e faz questão de separar quatro horas do seu dia para reuniões com funcionários que trabalham em novas idéias. De acordo com quem convive com Mark, ele sempre escuta o que os outros falam.

9 – Não traia a confiança de seus amigos. Esta é a única lição que Mark não seguiu e paga caro. Além de trair seu melhor amigo ao tirá-lo da sociedade do Facebook, seus milhões de usuários da rede social também perderam parte da confiança nele quando mudou as regras de privacidade do site. De repente, fotos e informações pessoais tornaram-se públicas e geraram avalanches de críticas e discussões na internet. Além disso, transcrições de conversas do início do Facebook mostram que Mark invadia o perfil dos usuários do site para ver fotos e mensagens pessoais. “Eu não sei por que, mas eles confiam em mim. Idiotas, disse Mark em uma das conversas. Ele confirmou à revista The New Yorker que as transcrições são verdadeiras, mas diz estar arrependido. “Eu cresci e aprendi muito”, defende-se.

Finale...

“Vocês que criaram o Facebook, né?”, uma delas perguntou. Saíram de lá direto para um banheiro da faculdade, onde cada um se trancou com uma das garotas numa cabine. (Uma história que rolou em Harvard, contada pelo escritor Mezrich, do livro The
Accidental Billionaries, onde Mark e Eduardo Severin, após o lançamento do Facebook, numa palestra de Bill Gates, foram abordados por duas lindas garotas que jamais dariam bola para eles em outros tempos)

A última dica de Mark: Pense sempre no sexo oposto.   

Nenhum comentário: