Google+ Followers

sábado, 13 de março de 2010

Mulheres - Estudo revela quem são as mulhres brasileiras


Sofisticadas, prósperas, modernas e, ao mesmo tempo, tradicionais. Influentes, as mulheres buscam cada vez mais uma vida estável e com qualidade. Para isso, vêem na educação um dos pilares para o seu crescimento profissional, financeiro e pessoal. Essas são as principais conclusões de um estudo realizado pela Serasa Experian que utilizou dados da pesquisa Mosaic Brasil para revelar quem são, como vivem e do que gostam as mulheres do País.


O Mosaic identificou que a população é dividida em dez grupos: o dos Ricos, sofisticados e influentes; Prósperos moradores urbanos; Assalariados urbanos; Empreendedores e comerciantes; Aspirantes Sociais; Periferia jovem; Envelhecendo na periferia; Aposentadoria Tranquila; Envelhecendo no interior; e Brasil rural.


De acordo com o levantamento da Serasa, as mulheres lideram dois, dos três grupos mais abastados da população – o dos Prósperos Moradores Urbanos, com 75% de presença feminina; e Aposentadoria dos Sonhos, com 54% da presença das mulheres. Porém, são nos subgrupos que as mulheres se destacam.


Prósperas e com aposentadoria tranquila
Segundo o estudo, dentro do grupo Prósperos Moradores Urbanos, as mulheres lideram no segmento Prósperos e Tradicionais, que reúne mulheres maduras, com alto grau de instrução e ótima renda. Do total de pessoas que pertencem a esse segmento, 60% são mulheres.


Também no segmento Empregos Estáveis, dentro do grupo Prósperos Moradores Urbanos, que reúne profissionais de grandes cidades, com carreiras estáveis, bons salários e que recorrem ao crédito com frequência, elas lideram, com 59% de representatividade.


O segundo grupo onde as mulheres têm mais participação (Aposentadoria dos Sonhos) reúne aquelas que possuem uma ótima situação financeira e que desfrutam de uma melhor idade confortável. Ao todo, 1,1 milhão de mulheres pertencem a esse grupo.


Minoria


Embora não sejam maioria, as mulheres têm representatividade significativa dentro do grupo Ricos, Sofisticados e Influentes. Esse grupo representa 1,86% da população e soma 2,5 milhões de pessoas. Desse total, elas são 1 milhão.


Considerando as mulheres dentro do grupo Assalariados Urbanos, elas têm boa representatividade no segmento Antigos Moradores – mulheres com muitos anos de profissão e já próximas de suas aposentadorias. Elas representam 52% do total desse segmento e possuem renda superior à média nacional.


Sobre a pesquisa


O estudo especial Serasa Experian – Dia Internacional da Mulher foi realizada com base nas informações do Mosaic Brasil, aliadas com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).


Hábitos de consumo

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, o Ibope Mídia traçou os hábitos e comportamentos da brasileira quando o tema é consumo. Baseado nas informações da ferramenta Target Group Index, o levantamento aponta que 67% das mulheres realizaram compras pessoais (excluindo bebidas e alimentos) nos últimos 30 dias, em contrapartida ao índice de 58% entre o público masculino. "Vimos que as mulheres, de maneira geral, gostam de variar marcas, procuram preços mais baixos e afirmam que vale a pena pagar um pouco mais por produtos de higiene pessoal de boa qualidade", destaca Juliana Sawaia, gerente de marketing do Ibope Mídia.


Entre as mulheres que foram às compras nos últimos 30 dias, 78% declaram ter comprado roupas femininas, 60% calçados, 43% roupas para homens e 39% roupas para crianças e bebês. As lojas de rua seguidas pelos shopping centers lideram como local preferido de compras pelo público feminino. A forma de pagamento mais usada é o dinheiro (61%), principal moeda de compra, além dos cartões de crédito (32%), de débito (21%) e cheque (7%).

A conectividade e o comércio eletrônico já são realidade no cenário brasileiro - 10% das mulheres revelam que comentam suas aquisições na internet avaliando a qualidade dos produtos. Vale ressaltar que este índice entre o público masculino - tradicionalmente mais interessado no tema tecnologia - é de 13%. Para elas, as categorias mais comentadas são as de telefones celulares (31%), equipamentos de TV, vídeo, som (28%), roupas (23%), vida saudável, exercícios e alimentação (17%). Já o público masculino opina e faz avaliações das categorias de equipamentos de televisão, vídeo e som (41%), automóveis (32%) e telefones celulares (32%).

O estudo foi realizado nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza, Brasília e nos interiores de São Paulo e das regiões Sul e Sudeste com pessoas de ambos os sexos das classes AB, C e DE com idades entre 12 e 64 anos. Para este levantamento específico, foram consideradas as respostas de mulheres e homens com 18 anos ou mais, obtidas entre agosto de 2008 e agosto de 2009.






portal InfoMoney 08/03/2010 - Camila F. de Mendonça

.

Um comentário:

twolives disse...

Oi Paulo,
Gostei da matéria!
Beijão