Google+ Followers

quarta-feira, 17 de março de 2010

Comprometimento X Talento – Se você fosse o Dunga, o que escolheria?

Esta eu saquei do MundoCaixa, site voltado para o público interno da Caixa Federal.
Muito instigante e gostaria de conhecer a opinião de voces caso estivessem na posição de "treinador da seleção " de sua empresa fazendo este paralelo com a seleção de Dunga e sua decisão. 
A minha opinião sobre o tema vai ficar para depois, mas já a tenho formada.




Vamos lá!

No início deste mÊs, o técnico Dunga deu uma entrevista coletiva afirmando que não irá convocar nenhum jogador fora do elenco atual – tirando de vez as chances de Ronaldinho Gaúcho, que está brilhando atualmente no Milan, de fazer parte da Seleção.

Dunga justificou que seu critério de escolha dos jogadores que farão parte do time “é comprometimento, empenho, atitude e sacrifício...” Tudo isso somado a ótimos resultados obtidos na sua gestão.

O técnico estabeleceu critérios de avaliação de sua equipe assim que assumiu a Seleção e vem mantendo-se fiel e coerente em relação a eles. Além disso, faz questão de sempre lembrar que comprometimento, empenho, atitude e sacrifício foram as competências que faltaram à equipe que disputou a Copa de 2006.

Mas pergunto a você: como deixar de fora um craque como Ronaldinho, jogando do jeito que está jogando? Como menosprezar tamanho talento?

As competências valorizadas por Dunga são fundamentais para qualquer equipe de alto desempenho atingir grandes resultados. Mas equipes vencedoras precisam inspirar... Precisam surpreender... Precisam de talentos insubstituíveis.

Na Copa em que Dunga levantou a taça de campeão mundial como capitão do Brasil, em 1994, seu amigo Romário tinha sido convocado na última hora para o último jogo das eliminatórias (se o Brasil perdesse, estava fora da Copa). Romário fez 2 gols e foi o melhor jogador do Mundial.

Naquela Seleção de 1994, o gestor Parreira ainda teve o sangue frio de convocar o garoto Ronaldo, então com 17 anos, mas que já estava atuando com uma grande performance e que, em pouco tempo, iria se tornar o fenômeno mundial. Ronaldo, naquela ocasião, parecia muito com o jogador Neymar de hoje.

Os jogadores da Seleção comentam que, com a eventual entrada de Ronaldinho, o time sofreria uma grande decepção em função de acreditarem que Dunga não estaria sendo fiel com a equipe. Isso porque, faltando 100 dias para a Copa, teria que tirar qualquer outro jogador que vem acompanhando o time há tanto tempo.

Pergunto: a fidelidade deve ser para com o jogador ou com o resultado final esperado?

Posto de outra forma: a fidelidade deve ser para com os colaboradores ou com o resultado final esperado da organização?
Se você fosse o Dunga, o que faria?

Optaria pela coerência em ter um time comprometido e que já está alinhado?

Ou arriscaria convocar em cima da hora um grande talento, que poderia afetar a paz da equipe, mas também fazer toda a diferença para vencer os jogos?

Então, o que voce faria?

Nenhum comentário: