Google+ Followers

sábado, 30 de agosto de 2014

Dois passos à frente.


Não estive lá, mas conta o livro que Jesus passou por um perrengue danado por desagradar alguns caras maus de Roma.


Os ingleses queriam ver Gandhi reduzido a pó.
Dalai Lama não pode nem pensar em pisar na China.  

Madre Teresa de Calcutá estava envolvida em tramóias “filantrópicas”, dizem.

Se for seguir o cardápio religioso, poucos escaparão! Gays, lésbicas, adúlteros e etc.

Não tente agradar a todos. Você não vai conseguir!

Antes de seguir, quero esclarecer que este recadinho não se trata de qualquer tipo de desabafo ou coisa do gênero, mas apenas uma constatação de quem já gastou alguma sola de sapato e porque as pessoas gostam de você pelo que você é, e não pelo que pensa ser. Então, Keep Calm and...(complete a sentença). 

Palavras do piloto, ex-piloto, comentarista de TV e filósofo Rubinho Barrichello, quando de sua recente primeira vitória na Stock car: “A minha teoria é que 33% das pessoas gostam de você, 33% delas não gostam e 33% não se importam. Teve amigo me falando que disseram para ele que eu só ganhei a corrida porque era para ir atrás do milhão, porque sou mercenário - só para ter idéia do nível de bobeira que as pessoas podem chegar a falar.”.

..............................................Rápido o Rubinho, não?

Só políticos precisam de popularidade. Como mero coadjuvante nessa vida, quem sou eu para preocupar-me com as pessoas que não gostam de mim (segundo o Rubinho, 33%). Isso é um problema exclusivamente delas.

Esteja próximo das pessoas de quem mais gosta.

Agradar a todos é impossível, todavia algumas pessoas possuem esse sonho utópico e infelizmente vivem sofrendo por isso. Sem dúvidas, se alguém busca ter uma vida própria e convicções únicas, é fundamental ter personalidade e não se deixar levar pelas teorias alheias. Tome partido, posicione-se sobre o que quiser. Tenha ideal ou simplesmente deixe-se levar pelos ideais dos outros, mas não seja indiferente porque vai parecer um ornamento e não um ser dotado de inteligência.

Ninguém é perfeito em sua visão de mundo (e ninguém é de ferro para tolerar insultos, exceto o iron man do cinema), e como diz um velho ditado: “você deve ser a causa das coisas, não o resultado delas”. Uma atitude passiva fará de você o objeto da ação de outra pessoa e te fará dependente do resto do mundo.

Escolha suas companhias porque o caminho é curto.

Um dos maiores bens que você pode dar a alguém é o seu TEMPO. Dar o seu tempo é dar uma porção da sua vida que nunca mais vai voltar. Portanto, escolha bem as pessoas que farão parte dessa jornada para não perder seu precioso tempo.

Não podemos ser o que não somos. Um dia a máscara cai. Mas, como somos seres sociáveis devemos buscar o máximo em nossos relacionamentos, aqueles que nos interessam verdadeiramente. Então, com esses (os outros 33% citados pelo filósofo Rubinho) tente ser:
- imparcial nas avaliações;
- solícito;
- empático;
- bem-humorado;
- equilibrado nas ações e emoções;
- fiel às pessoas de quem mais gosta.

Cada um de nós deve seguir seu caminho conforme sua vontade e disposição para arcar com suas escolhas, pois “cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”.

Fannie Flagg disse: “Lembre-se, se as pessoas falarem por suas costas, quer dizer apenas que você está dois passos à frente.”.