Google+ Followers

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Tautologia - repetições viciadas






Dia desses, conversando sobre as armadilhas da nossa língua - que são muitas! - argumentei para o fato de que devemos "agir como os romanos, estando em Roma". Ou seja, devemos nos comunicar de acordo com a cultura do meio. Não adianta tentar vender uma idéia de Brand Equity para o cara do cachorro quente da esquina, muito menos usar do malfadado gerundismo "a nivel" de interlocução com gestores de Instiuições de Ensino Superior.


Penso, também, que para acertarmos a sintonia da transmissão, devemos conhecer o máximo possível sobre nossa língua falada e escrita. Só sabendo o que é certo poderemos adequar-nos à cultura do receptor sem cometer equívocos que podem macular o fundamento da mensagem.



"Você sabe o que é tautologia?"

É o termo usado para um dos vícios de linguagem. Consiste na repetição de uma idéia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido.

O exemplo clássico é o famoso "subir para cima" ou o "descer para baixo". Mas há outros, como você pode ver na lista a seguir: - elo de ligação - acabamento final - certeza absoluta - quantia exata - nos dias 8, 9 e 10, inclusive - como prêmio extra - juntamente com - expressamente proibido - em duas metades iguais - sintomas
indicativos há anos atrás - vereador da cidade - outra alternativa - detalhes minuciosos - a razão é porque - anexo junto à carta – de sua livre escolha - superávit positivo - todos foram unânimes - conviver junto - fato real  - encarar de frente - multidão de pessoas - amanhecer o dia - criação nova - retornar de novo – empréstimo temporário - surpresa inesperada escolha opcional  - planejar antecipadamente - abertura inaugural - continua a permanecer – a última versão definitiva - possivelmente poderá ocorrer – comparecer em pessoa - gritar bem alto  -propriedade característica - demasiadamente excessivo  - a seu critério pessoal - exceder em muito.

Note que todas essas repetições são dispensáveis. Por exemplo, "surpresa inesperada". Existe alguma surpresa esperada? É óbvio que não. Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias.  Fique atento às expressões que utiliza no seu dia-a-dia.Verifique se não está caindo nesta armadilha.   

Então fica a dica para os RPs, AIs e Gestores de Marketing/Comunicação.    

Nenhum comentário: