Google+ Followers

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A nova geografia do varejo



jornal DCI 29/07/2010 - Viviane Ávila e Camila Abud

O Grupo Pão de Açúcar colocou o nordeste no topo de suas prioridades do segundo semestre. Tendo como pano de fundo o aumento da disputa do setor varejista por mercado em todo o País, o grupo informou ontem que pretende estar "rapidamente" em todos os estados da Região Nordeste, ampliando suas operações em mercados fora do eixo Rio-São Paulo.

"Já estamos presentes com supermercados em alguns estados, mas não com eletroeletrônicos", afirmou o diretor executivo de Negócios de Varejo do GPA, José Roberto Tambasco. Ele evitou, porém, dar detalhes da expansão na região, assim como dos planos de inauguração de lojas das bandeiras Ponto Frio e Casas Bahia pelo Brasil.

Segundo Tambasco, recentemente a empresa abriu sua primeira loja em Teresina, no Piauí, e irá expandir pontos-de-venda este ano em Pernambuco, com a bandeira Assai.

O objetivo da companhia é aumentar o market share da empresa no nordeste, destacando o recente processo de aceleração da abertura de lojas das Casas Bahia no Estado da Bahia.

Investimentos

Além do investimento de R$ 389,4 milhões no primeiro semestre, dos quais R$ 182,4 milhões foram investidos no segundo trimestre na abertura de 13 novas lojas e na conversão de duas unidades ao formato Extra Supermercado, segundo o diretor de Finanças e Tecnologia da Informação do GPA, José Antônio Filippo, mais R$ 800 milhões estão "compromissados" e serão aplicados nesta segunda metade do ano.

A quantia conjunta fica abaixo da projeção de investimentos para o ano, de R$ 1,6 bilhão, mas Filippo mostra-se confiante na inauguração de aproximadamente 100 lojas ainda este ano. O GPA encerrou o segundo trimestre com 1.102 unidades, incluindo Ponto Frio.

No curto prazo, ele descartou a abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) da unidade de comércio eletrônico formada pelos sites Extra, Casas Bahia e Ponto Frio. Segundo ele, neste momento a companhia trabalha na captação de sinergias entre os sites, na gestão de logística, vendas e estoques, mantendo estratégias de preços e condições de pagamento de cada site inalteradas. "Porém, a injeção de recursos [como com um IPO] vai ajudar no negócio", garantiu.

Até a segunda quinzena de setembro serão divulgadas as projeções de vendas e margens com os resultados da Casas Bahia consolidados com o Pão de Açúcar.

Nenhum comentário: