Google+ Followers

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O Manifesto Punk


“If I go there will be troubleAnd if I stay it will be double
So come on and let me knowShould I stay or should I go?”


Sabe o The Clash? (não nos decepcione, diga que “sim”). Mais do que apenas alguns ingleses com guitarras distorcidas e gritos hipnóticos do passado, os caras já mostravam que para convencer é preciso ter atitude. E olha que naquela época o termo branding ainda não era encontrado na Wikipedia...

Mas o quê esse The Clash está fazendo no texto? Bom, simplesmente porque hoje, mais de 30 anos depois, já tem gente falando em Punk Marketing. E como isso funciona? Com muita, yeah, atitude.

Os responsáveis pelo conceito são Richard Laermer, considerado uma autoridade (foi mal, o termo “autoridade” não é nada punk...) em novas mídias e tendências, e Mark Simmons, consultor em ações de marketing não usuais.

Richard e Mark lançaram o livro “Punk Marketing: Get Off Your Ass and Join The Revolution”. Para eles (e pra nós também) ser punk marketer é introduzir um caos organizado nas empresas, sacudindo a forma de pensar e permitindo conexões criativas inéditas.

Antes de dizer “saco, mais um termo em inglês pra decorar...”, saiba que os caras foram além do verbete e criaram o Manifesto Punk (quer atitude mais punk do que essa?).

Conheça os 15 artigos que devem ser seguidos à risca pelos revolucionários:
1. Evite o Risco e Morra
2. Pergunte “Por que não?”
3. Seja Firme em Suas Convicções
4. Não Abaixe a Cabeça
5. Desista do Controle
6. Diga a Verdade (sério!)
7. Faça Inimigos
8. Estimule a Curiosidade
9. Seja Mais Esperto
10. Lembre-se que Tecnologia Não é Tudo
11. Lembre-se Quem É Você
12. Vá Direto ao Ponto
13. Não Deixe que os Outros Determinem Seus Padrões
14. Use as Ferramentas da Revolução
15. Crie o Último Artigo Você Mesmo

E então? Sua Marca é Punk?
Should your brand stay or should it go now?

Para baixar o Manifesto Punk, conhecer os detalhes e começar já a revolução, clique aqui!

Autor: Felipe Borges Valério
Fonte: http://www.decidindo.com.br
/

Um comentário:

Anônimo disse...

Se eu fosse punk quebrava tudo... quanta besteira!