Google+ Followers

domingo, 26 de abril de 2009

Os ensinamentos de Warren Buffett


O conceito geral de fator de risco não funciona para mim. Risco implica não saber o que se está fazendo.”Warren Buffett.

Considerado o maior investidor do mundo, Warren Buffett é um multimilionário pioneiro em investir em ações para aumentar seu valor. Até hoje, seus métodos não foram igualados. Sua estratégia campeã é procurar ativos de valor essencial subestimados pelo mercado. Ele tem também seguido uma regra básica e simples: “jamais invista a não ser que possa encontrar algo que valha a pena comprar”.

Nunca me interessei muito pelo assunto investimento em ações, mas a biografia do Warren me chamou a atenção pelo seu pragmatismo. Nada de pirâmides ou artimanhas que quebraram os EUA. Buffett se interessa apenas pela realidade, livre de ilusão, principalmente sobre ele mesmo. Sua influência sobre o comportamento de outras pessoas no mercado de ações tem sido limitada, uma vez que os mercados são dirigidos em grande medida pelo medo, pela ganância e pela ilusão.

Seu sucesso comprova que o bom senso e a racionalidade consistente vencem mesmo em mercados irracionais.

Os ensinamentos de Buffett soam enganosamente simples. Mas não há engano. Eles são muito simples. Não permita que consultores o convençam de que investir é assunto complexo que exige grande perícia. Ao contrário, aprenda por você mesmo como avaliar os valores fundamentais e os financeiros de uma empresa e invista de acordo com suas convicções.

Ignore as convenções
Para investir bem, você deve estar preparado para contrariar os conselhos dominantes e ignorar diretrizes convencionais. Assim:

1 – Não coloque os ovos em muitas cestas;
2 – Não coloque pequenas quantias em cada cesta;
3 – Não mude de aplicações com freqüência;
4 - Não evite manter dinheiro;
5 – Não confie em análise de fora;
6 - Não aja só com a intuição;
7 – Não siga a multidão;
8 – Não observe intensamente o mercado;
9 – Mantenha princípios fixos de investimento.

Princípios “do contra”
A abordagem convencional, acredita Buffett, torna difícil superar o mercado e fácil perder para ele. Aumente suas chances de encontrar ações vencedoras aderindo aos princípios “do contra” de Buffett.

- Invista em não mais de cinco ou dez papéis;
- Compre apenas se puder aplicar na ação escolhida pelo menos 10% do total de seus investimentos.
- Espere conservar seus investimentos para sempre;
- Só invista seu dinheiro quando puder encontrar algo que valha a pena comprar;
- Faça suas próprias pesquisas – e faça com rigor;
- Tenha sempre motivos sólidos, fundamentados e bem pesquisados para seus investimentos.
- Ignore o mercado, a multidão e os modismos.


Avaliando o valor
Todo investidor quer encontrar uma barganha. Investidores convencionais medem o valor observando fatores relativos ao mercado. Buffett recomenda que você observe apenas o valor fundamental da empresa.

Investigue a empresa
Avaliar empresa envolve estimar a qualidade de suas operações e administração, sobre as quais as cotações de mercado nada dizem.

Para avaliar uma empresa, tenha certeza de que entende o negócio em profundidade; pergunte se a empresa tem aumentado vendas e lucro operacional consistentemente ao longo do tempo e decida se é razoável esperar que esse desempenho consistente continue a se reproduzir no futuro distante, tendo a Coca-Cola como exemplo disso uma vez que Buffett tem participação acionaria.

Ele ainda fala que você deve calcular o valor financeiro da empresa escolhida e alguns números que você precisa para avaliar as perspectivas financeiras de uma empresa devem ser resgatados dos balanços publicados. Neles você deve procurar questões críticas como:

1 – Qual é a porcentagem de retorno sobre o capital acionário?
2 – Quanto do rendimento pertence aos acionistas?
3 – Qual é a margem de lucro?
4 – A empresa cria pelo menos R$ 1 de valor de mercado para cada real dos fundos dos acionistas que ela reinveste no negócio?

Bem, os ensinamentos de Buffett são muitos e voltarei a falar sobre o assunto.


Paulo Rubini, Consultor de Empresas

Um comentário:

Israel disse...

O investidor é um ícone mesmo. Estou lendo a sua biografia escrita por Robert G. Hagstrom.
Na verdade não estou lendo, estou digerindo aos poucos, pois cada página parece ser um caso a ser estudado de tão rico que é o seu conteúdo.