Google+ Followers

domingo, 21 de setembro de 2008

RSE - Parte final

Cada vez mais a sociedade está expressando a clara necessidade de práticas ambientalmente sustentáveis. Uma das maneiras de a empresa demonstrar o seu compromisso com o meio ambiente é através da mudança dos “métodos tradicionais” com relação às questões ambientais:

DEPARA :

Uso de Recursos ineficazes
► Produtividade de Recursos

Tecnologia End-of-Pipe*
► Produção mais Limpa

Relações Públicas
► Controle Corporativo

Reativo
► Pró-Ativo

Sistemas de Administração
► Ciclos da Vida, Projeto de Negócio.

Comunicação Unilateral e Passiva
► Multiplicidade de participantes e Diálogo Ativo

Fonte: Site The Global Compact – www.pactoglobal.org.br


Eis as razões pelas quais a empresa deve pensar sobre a melhoria no seu desempenho ambiental:


  • - Aplicação de uma produção mais limpa e demonstração de eficiência ecológica levam a uma melhor produtividade dos recursos.

    - Novos instrumentos econômicos (impostos, encargos, alvarás comerciais) recompensam empresas limpas.

    - Regulamentação ambiental rigorosa.

    - As seguradoras preferem fazer negócio com empresas mais limpas e de risco mais baixo.

    - Os bancos tendem a fazer mais empréstimos para empresas cujas operações não onerem o banco com processos na área ambiental ou contas de liquidação.

    - A administração ambiental tem um efeito positivo para a imagem da empresa.

    - Os empregados preferem trabalhar para empresas ambientalmente responsáveis, pois, geralmente, essas empresas apresentam registros de boa saúde e segurança para o trabalhador.

    - A poluição ambiental ameaça a saúde humana.

    - Os clientes exigem produtos mais limpos.

A sustentabilidade e, nesse âmbito, a necessidade de ser genuína e não generosa. Trata-se de um elemento de negócios que pode trazer impactos positivos à empresa se for adotado verdadeiramente.

Pense nisso quando alguém vier falar com você sobre RSE.

* end-of-pipe: tipo de solução que não atinge a raiz do problema. Também conhecida como solução fim-do-tubo. Ex: Um determinado processo industrial gera um tipo de resíduo perigoso. A princípio, é mais fácil colocar um filtro na saída do tubo em que o resíduo é emitido, do que reprojetar todo o processo, ou pesquisar novas fontes alternativas de matéria-prima, para que não exista mais a possibilidade de geração de resíduos perigosos. Uma decisão end-of-pipe torna, aparentemente, as coisas menos ruins, mas não boas. O que fazer então, com o filtro contaminado?

Leia também:


A verdade sobre Responsabilidade Social Empresarial.

RSE - parte 2

Paulo Rubini, Consultor de Empresas.


Nenhum comentário: