Google+ Followers

sábado, 24 de novembro de 2007

Usabilidade ou morte

Dia desses na apresentação de uma campanha para aprovação presenciei uma cena e não imaginava que ainda pudesse existir. O representante da agência ao solicitar um site por eles desenvolvido, muito bem feito por sinal, em termos de design, simplesmente não carregou a tela inicial por ter sido integralmente concebido em flash. Afora o problema de falta de banda para navegação da internet brasileira, a objetividade deve ser o mote para qualquer arquitetura web. Nesse caso, o objetivo deve ser a facilidade de acesso ao conteúdo que me levou até seu site.


Um bom design implica atratividade, dinâmica e total usabilidade.

Segundo Steve Krug, no seu livro Não me faça pensar, a facilidade de uso (navegabilidade) apenas significa assegurar que algo funcione bem: que uma pessoa com habilidade e experiência médias (ou mesmo abaixo da média) consiga usar essa, este 'algo' - seja um site, um avião de caça ou uma porta giratória - de acordo com o propósito dela, sem ficar desesperadamente frustrado."

Alguns conceitos para avaliar usabilidade

Efetividade, eficiência e satisfação são as medidas de usabilidade mais freqüentemente consideradas em relação a websites. Apesar de subjetivas, servem de parâmetro para alcançar melhorias.
Robson Santos (webinsider)

Nas duas últimas décadas, diversos autores têm se debruçado sobre o tema "usabilidade", desde que os computadores passaram a ser utilizados por um maior número de pessoas seja para trabalho, estudo ou atividades domésticas. Muitas definições sobre o que é usabilidade têm sido emitidas.

Por exemplo, o pesquisador francês Dominique Scapin considera que a usabilidade está diretamente ligada ao diálogo na interface e é a capacidade do software em permitir que o usuário alcance suas metas de interação com o sistema. Para Jakob Nielsen, ser de fácil aprendizagem, permitir utilização eficiente e apresentar poucos erros são os três aspectos fundamentais para a percepção da boa usabilidade por parte do usuário.

Ainda existem alguns outros fatores que servem com delimitadores para o conceito e ajudam a definir o escopo do termo usabilidade. Antes de qualquer coisa, o site deve ser de fácil aprendizagem, pois todos sabemos que o tempo de aprendizagem de um website é zero. Não dá para enviar um manual de uso para cada possível usuário ensinando onde se localiza a barra de menus, ou como finalizar a compra. Desta forma, é a através da própria interface que usuário deve perceber a forma de uso do sistema, que, por sua vez deve permitir que os usuários alcancem níveis de desempenho aceitáveis dentro de um determinado período de tempo.

Também é comum pensar em medidas para usabilidade, pois servem como parâmetros para avaliar o nível de usabilidade de um sistema ou de uma interface. As medidas de usabilidade mais freqüentemente consideradas são: efetividade, eficiência e satisfação.

Regras de usabilidade e seus benefícios:

  • Clareza na arquitetura da informação
  • Facilidade de navegação
  • Simplicidade*
  • Relevância de conteúdo*
  • Consistência e padrão
  • Tempo de recebimento suportável*
  • Foco no usuário
  • Links e navegação que façam sentido por si só

Eu destaquei os itens Simplicidade, Relevância de conteúdo e Tempo de recebimento porque os vejo como vitais em qualquer planejamento web e para que possam servir de suporte aos demais.

Isso tudo levado em conta resultará em maior número de transações, aumento da eficiência da comunicação, menor custo de suporte e atendimento, diminuição da evasão de usuários por desistência e, o mais importante: percepção positiva da empresa.

“Clique nos seus ‘calcanhares’ três vezes e diga ‘não há lugar como a nossa casa”;

Esta frase é uma referência do filme “O mágico de OZ”, quando Dorothy descobre que poderia retornar à sua casa batendo seus calcanhares (calçados com sapatinhos de rubi) três vezes e dize

A referência foi feita por Krug para salientar a importância do botão ou link que possa nos levar de volta à home page do site. Ter um botão Home à vista o tempo todo assegura que não importa o quanto estejamos perdidos, ou nos sintamos como tal, porque sempre poderemos começar de novo, como se apertássemos o botão reset. Por incrível que pareça, muitos usuários ainda não estão habituados a ver o símbolo do site como sendo link home. Com isso dá para se ter uma idéia do quão importante é o tema.

Assim, a proclamação da independência da internet não poderia prescindir da usabilidade.


Paulo Rubini
Consultor de Marketing


Este trecho de artigo achei "da hora" e tenho certeza que muitos de voces concordam.

"
Parece bobagem mencionar isso, mas ainda vejo muito esse erro pela web: música.

Para ouvir música, há uma infinidade de possibilidades, CDs, MP3s, rádio etc etc. Seu site não está entre as opções. Poucas coisas são mais irritantes do que música tocando automaticamente quando se acessa um blog.

Muitas pessoas navegam ouvindo música que elas próprias escolheram no som do computador. Outras estão no trabalho e querem ou precisam ser discretas. Em qualquer situação, música tocando vai perturbar seu visitante.

O que, você acha legal e dane-se seu visitante? Talvez essa série não seja para você, vá conversar com seus miguxos no emiéssieni."


Nenhum comentário: