Google+ Followers

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Farmácias e drogarias: comportamento do consumidor

O POPAI Brasil - The Global Association for Marketing at Retail, entidade especializada no estudo de merchandising no ponto-de-venda, divulgou os resultados do estudo "O Comportamento do Consumidor em Farmácias e Drogarias". A pesquisa, sob responsabilidade do Instituto de Pesquisas IBOPE Solutions e Múltipla PHD EstudosComportamentais e teve o patrocínio da Bayer, Cadbury ADAMS, Coca-Cola, Galderma, Johnson&Johnson, Nestlé, Niasi, Nycomed e Sanofi Aventis.

O evento aconteceu no Espaço APAS em São Paulo, e contou com a participação de Vannia Parma, representante da empresa Múltipla PHD e Eduardo Krenke profissional da IBOPE Solutions. O objetivo do estudo foi conhecer os hábitos desses clientes, além de verificar o impacto que as ações e os materiais de merchansiding causam na decisão de compra do consumidor.

Entre os resultados obtidos, destacam-se:

Frequência de compras


* 65% dos freqüentadores de farmácias são mulheres

* Cerca de 83% pertencem à classe B e C

* Somente 61% tem o colegial completo

* Os freqüentadores desse canal tem em média de 20-39 anos

* 83% dos consumidores vão sozinhos aos estabelecimentos

* Esse público freqüentam farmácias independentes e o período com maior concentração de compra está no período da tarde (56%).


Planejamento de compra


* 91% dos consumidores não levam lista de compra:


* 61% dos consumidores não levam lista de compra

* 26% não levou a lista, mas sabia o que ia comprar

* 4% não levou lista, mas tinha receita de medicamentos prescritos


Tempo de permanência nas lojas


* Os consumidores ficam 5 minutos em média nas farmácias e drogarias

* Em São Paulo 60% dos consumidores vão diretamente ao balcão, sendo que 56% estão interessados em medicamentos, porém a média pesquisada foi que 51% dos consumidores vão diretamente ao atendente.

* 33% dos consumidores foram direto no balcão, mas pararam para olhar outras seções.


Intenção de gasto


* 58% dos consumidores buscam medicamentos - desde 58% cerca de 6% compram medicamentos sem prescrição médica.

* 22% buscam produtos de higiene - a compra desse item feito em farmácias se dá devido a localização das lojas, conveniência e praticidade.

* 12% procuram itens nos segmentos de cosméticos - essa compra também é feita pela localização, mas também pela aquisição de produtos mais baratos.

* 7% dos clientes comprar produtos para bebê - essa compra também é feita pela localização, mas também pela aquisição de produtos também mais baratos.

* 2% compram alimentos (1% bomboniere)

* 2% adquirem bebidasO valor gasto em farmácias e drogarias é próximo de R$ 11.90

* O perfil do consumidor nesse canal: são mulheres de classe média alta, paulista e compram em redes farmacêuticas.


A medição da pesquisa foi realizada nos meses de novembro e dezembro de 2006, nas principais capitais brasileiras como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife e Salvador. O estudo contou com uma análise quantitativa feita por meio de pesquisas individuais com os clientes antes de após a visita em determinado PDV para verificar no primeiro momento a freqüência, uso de prescrição médica, intenção de compra e valor médio gasto.

Já, na segunda fase, após a passagem pelo check-out, a proposta foi levantar produtos e marcas comprados, valores gastos, percepção dos materiais promocionais e de merchandising e os fatores que influenciaram na decisão de compra.

Para garantir um melhor aproveitamento geográfico foram estimados 15 entrevistados por farmácia/drogaria totalizando 115 pontos-de-venda e 1.720 consumidores em todo Brasil, sendo 40% nas grandes redes e 60% em lojas independentes.

Nenhum comentário: